Empreendendo com Automação Residencial? Vale a pena Home Assistente?

Pessoal boa tarde! Gostaria de uma opinião de vocês tendo em vista a aplicabilidade de automações residenciais com o Home Assistent.

O que vejo ainda é que o Home Assistent atinge um publico mais maker e lobistas que estão afim de criar as automações para si mesmo em suas casas, sendo assim não havendo maiores aborrecimentos caso algo pare de funcionar como esperado.

Quando vemos algo voltado mais a um âmbito profissional e prestação de serviços vemos outras plataformas como as da WOW (https://wow.ind.br), onde prometem uma maior confiabilidade alem de ter uma linha de produtos que se adequa as exigências arquitetônicas para uma casa moderna.

Quanto ao Home Assistent… vocês vê mercado para ele? Apresenta uma boa confiabilidade? Costuma falhar?

O que acham de empreender em automação residencial utilizando para isto o universo do Home Assistent onde oferece uma maior integração e menor preço ?

Bem legal, problema é a centralização dos sinais, hoje em dia é muito mais fácil vender uma automação residencial com uma migração mais simples, em termos de infraestrutura…
Mas com certeza tem suas vantagens.

Sim sim. Essas da WOW apesar de trazer no seu portfolio a premissa de serem sistemas mais robustos tem o empecilho quanto a infra estrutura.

Nao olhei ultimamente o catalogo deles mas acho que eles agora tem alguma solução nos moldes dos sonoff: sem centralizar via cabos os sinais. Tenho que dar uma olhada.

Pois o que me broxou quanto a virar um integrador deles aqui onde moro foi justamente esse fato. Seria projetos que necessitaria de mudanças na infra estrutura da casa para conceber o painel.

Logo voce teria que vender esse serviço ainda quando a residência estivesse na planta. Dai fode.

Tem tb o empecilho quanto a escalabilidade da automação

@Guib.eng

Boa tarde.

As principais premissas do Home Assistent são: Automação residencial de código aberto que coloca o controle local e a privacidade em primeiro lugar. (os grifos são meus, o texto é do site do Home Assistant).
O maior foco é na privacidades, o HA não depende de nuvem alguma para funcionar.

Na minha opinião existe mercado sim, porem não acredito que seja um somente vender e entregar, pode ser necessário vender serviço de manutenção também.

Outro ponto importante, quais são os periféricos que serão colocados no HA, muitos periféricos dependem da nuvem para funcionar, o WOW depende dela (minha opinião, não conseguir ligar uma lampada ou abrir uma janela por falta de conexão com a internet me incomoda muito, depois vem o fator privacidade.), o Sonoff ou Tuya podem depender muito da internet para funcionarem e com os firmwares originais ele podem ter varias limitações. Tanto Sonoff como Tuya podem ter seus firmwares substituídos e customizados dando mais liberdade para a automação que você quer entregar, mas ao fazer isso, vc precisa se certificar de que a customização não dará problema, e se der como o problema será resolvido e mitigado.

Outro ponto que você abordou é a residencia na planta, com a residencia na planta é um pouco mais facil de fazer um projeto de automação, depois que a casa está pronta e funcionando é bem mais complicado (meu caso, tenho casa velha com conduítes estreitos e superlotados), exigindo até uma obra para acomodar as automações.

o HA é escalável, mas provavelmente não com um Raspberry Pi 4 usando um cartão SD (uso isso em casa e as vezes passo aperto), agora com Raspberry Pi 4 bootando de SSD ou com um PC ele é muito escalável. Mais um ingrediente que precisa ir para a panela se os dispositivos forem WiFi é segregar uma rede WiFi somente para isso, e pode ser necessário o uso de vários Access Points para garantir um boa cobertura da Rede WiFi de automação.

Não tome todos os meus comentários como verdade absoluta, pois são minhas opiniões baseados nas experiencias que tive até agora, sou apenas um maker e hobista em automação residencial.

Opa, legal a discussão.

Quais os maiores problemas que você vê com o HA num raspberry 4 com cartão SD?
É de boa usar um SSD no raspberry 4? Tem alguma entrada específica pra isso nele ou usaria a porta USB3.0 normal msm, como se fosse um HD externo?

Ah sim, outro problema que vejo em empreender com HA seria o uso da nuvem.

Quais seriam as alternativas? “Forçar” o cliente a assinar o Nabu Casa e pagar a mensalidade?
Pq se não for isso, teria que abrir portas no roteador do cliente, fazer port forward, etc… aí o cliente troca de provedor e tudo para de funcionar heheheheheheh

Eu já passei aperto pra configurar meu modem antigo da Net.

Tranquilo… Então… Digo isso porque quando conheci a WOW fiquei com aquilo “Acho que era bom iniciar algo disso na minha cidade” Porem quando fui avaliar para colocar na casa de um colega meu pra gente deixar rodando e ver como iria comportar, nos deparamos com duas dificuldades: preço e infraestrutura. Dai acabei que brochando.

Já no mundo do HA, por ser open e uma comunidade maker que toma conta e deixa as coisas disponíveis esses dois problemas foram contornados: barato e não precisa de grandes modificações na infra da casa visto que muitos modulos podem ser instalados na caixa de passagem. Isso fez com que reascendesse novamente a ideia de emprender nesse ramo.

Todavia uma duvida que me surgiu foi: Roda sem dar muitos problemas? Claro que imaginando um bom setup e uma instalação bem pensada e configurada (Um NUC rodando o HA e assim por diante). Me perguntei isso pq cai no mesmo dilema dos controladores industriais CLP vs Arduino.

Não por preconceito mas por falta de conhecimento gostaria de desmistificar o HA e entende-lo como um CLP para casa e não Arduino. Pois quando vejo essa comparação (Arduino x CLP) sabemos que o Arduino apesar de poder funcionar tal como ele não cumprirá vários requisitos que um controlador industrial cumpre.

E também rola aquele receio de vender uma solução de automação residencial e voce acabar com o telefone fervendo de ligações porque volta e meia o HA dá algum problema.

Voces acham confiável? Usar o que o Home Assistente oferece como um produto sem ter maiores dores de cabeça?

Vish… Aí tb é bucha.

Acho que como é algo pra vender você pode especificar qual roteador vai ser usado e assim por diante. Não deve dar esse espaço pro cliente “Tenho um roteador velho aqui…”, pois industrialmente muitas fabricantes e integradoras trabalham assim.

Por exemplo se voce oferece uma solução com um CLP da Siemens, a própria fabricante te oferece facilidades para que utilize outros dispositivos do seu portfólio.

Acho que quando vender um serviço de automação residencial voce como integrador tem que especificar para o cliente os dispositivos, se nao vai te dar uma dor de cabeça enorme.

Como o colega acima disse. Até a rede voce separa. Assim vai estar fazendo algo bem profissional

O que seria o Nabu?

Com rede separada para a automação ainda precisaria abrir as portas do roteador?

Pois pelo que entendi até o momento, inclusive em um video AutoMarcio é que com o HA a sua automação vai rodar localmente. Acho que isso tiraria a dependência da nuvem qual citou.

Huuummm saquei.
É… vender junto com roteador é uma boa saída.
Mas mesmo assim só contorna o problema do IP fixo.

Para acessar sua instância do HA pela internet, fora de casa, vc só tem duas opções (me corrijam se eu estiver errado):
1 - Vc vai ter que fuçar no modem do usuário para poder abrir as portas OU fuçar o modem dele para colocar em “modo bridge” e usar esse outro roteador que vc vai “vender” junto
2 - Usar algum serviço de nuvem, e é aí que entra o Nabu Casa, que é o serviço de nuvem “oficial” do HA

Se vc não usar nenhum dos dois vc só vai poder usar sua automação localmente, quando vc estiver conectado pelo wifi. Não vai poder acessar sua instância do HA pela internet quando estiver fora de casa. Nem vai conseguir controlar as coisas do HA por comandos de voz via Google Home ou Alexa.

Mas acredito que pra usar localmente não terá problema nenhum.

@UBT

O cartão SD por mais rápido que seja ele é lento comprado com um SSD, isso pesa se você tiver muitos dispositivos controlados por ele, você teria que ter um histórico pequeno, poucos dias (exemplo: eu tenho varios medidores de consumo em casa, e eles produzem um volume significativo de dados e em questão de dias esse volume lotou o meu SD de 16gb, minha solução foi passar todos esses dados para um MySQL externo, ai fiquei com o Pi4 para fazer os controles e um PC para guardar os historios [nesse cenário não uso o SQLite interno do HA]) outro ponto negativo do cartão SD é a vida útil dele, a quantidade de escritas é bem nor que em um SSD, e o cartão SD não tem um recurso de Trim presente nos SSDs que aumenta vida util dele.

Sim é um boa usar um SSD pelo USB 3.0 (o Pi4 não tem um porta especifica para isso), te como você bootar diretamente pelo SSD no site do Tom’s Hardware tem um tutorial de como fazer isso.

Em adição, existe um concorrente do Pi 4 que é o ROCK PI 4 Model C, ele tem suporte nativo no próprio hardware para SSD no padrão M.2 NVME, você pode ver a especificação no link cima.

1 Like

@UBT

Eu não assino o Nabu Casa, porque prefiro usar tudo dentro de casa, nada na nuvem, pelo menos esse tipo de informação.
Acho que usar o Nabu Casa tem que ser um opção do Cliente, não um imposição do fornecedor, ai nesse ponto vc coloca as vantagens e desvantagens de cada form de operar (nuvem ou port forward).
Em casa tenho Vivo fibra, com ip dinamico, não é possivel fazer várias coisas, por as portas principais são bloqueadas, para mudar isso precisaria trocar para um ip fixo, ia resolveria esse problema.

A troca de provedor tem que ser pensada nesses casos onde vc depende de algum serviço pode ser bloqueado por outro provedor.

@Guib.eng

Roda, mas o setup tem que estar redondo, eu ja tive períodos que tive que reiniciar o HA a cada 2 ou 3 dias, por problemas de espaço, agora que mudei onde os dados são armazenados, já fiquei 3 semanas sem ter que reiniciar ele.

Eu acho o HA confiavel, porém eu pessoalmente ainda não cheguei no ponto de ter testado o suficiente para empacotar um solução entregavel.
Automação residencial é projeto, se vc pegar necessidade de um cliente que vc não testou no seu ambiente controlado e precisar implementar pode complicar. Vamos pegar um exemplo, o cliente pede pra automatizar a janelas, abrir e fechar a veneziana de enrola, e por qualquer coisa não esperada para de funcionar, ou mesmo uma automação de porta de garagem que de aglum problema, tudo isso precisa estar muito bem endereçado para não dar problema ou quando der ser muito simples do próprio cliente resolver.

Pois então… É nisso onde nao sei se a WOW cumpre, confiabilidade em ficar rodando por meses, anos sem dar problema.

Assim como controladores industriais, os residenciais tem que cumprir plenamente. Pra nao virar esse Deus nos acuda quando meio mundo de equipamentos e dispositivos pararem de funcionar.

Vamos esperar relato de alguns colegas que tenha algum projeto com o HA e tenha rodado por bastante tempo sem muita interferência ou manutenção pra gente dar uma olhada.

Mas creio eu que se seguir a rigor desde a especificação do hardware, endereçamento e projeto pode ser ter umm bom projeto.

Eu uso o HA a um bocado de tempo e acho confiável DESDE que: 1) vc não fique atualizando sempre sai versão nova; 2) use com integrações que já estão robustas. Acho bastante viável que alguem ofereça um um serviço em cima dele e pelo que vi no forum lá de fora, tem gente disposta a pagar por uma solução pronta. Boa parte disso é o que as soluções proprietárias fazem. Se vc controla o que pode ou não ligar nela, vc tem como garantir uma certa robustez, pois tudo foi testado/homologado.

Cara, assim…Aqui vai a MINHA OPINIÃO : Eu acho uma PUT* SACANAGEM pegar uma solução open-source, empacotar e vender como um produto final “de prateleira” se não houver uma contribuição EXPRESSIVA (pelo menos 10-15% dos lucros liquidos na unidade) ao projeto… E eu digo mais: pra contornar o problema de NAT das operadoras, vc poderia implementar um serviço de ddns com vpn saindo da instância do cliente, assim teria algo similar ao NABUCASA.COM

Mas amigo entendo sua preocupação. Mas não seria sacanagem visto que há sua consultoria técnica, instalação e etc e tal. Há muito serviço envolvido numa solução de automação residencial mesmo que usando HA.

Veja o exemplo do Linux é open, mas não faz parte da filosofia que o técnico que faz os servidores e tudo mais não possa tirar proveito disso e ganhar dinheiro, na vdd a hora do cara que trabalho com Linux é mais cara que os que mexem com outros servidores (dizem, tem que confirmar).

Na vdd é justamente isso que eles tentam preconizar: dá pra ganhar dinheiro com ferramentas open suorce.

Vejo o Open como uma filosofia para gerar um ecossistema onde voce não tenha amarras com um só fornecedor/fabricante. Onde possibilite outras iniciativas usando ideias e recursos do mesmos e etc.

Por exemplo, o Nabu é pago, logo o HA é um ecossistema que permitiu o surgimento disso e assim vai. Open Suorce não deve ser confundido por ser aberto com algo onde não possa se solidificar um ganho

1 Like

Massa…

Pois é o que estávamos discutindo. Oferecer junto ao serviço e prezar para usar equipamentos que não vai te dar dor de cabeça futura.

Há tb a questão de seguir normas cuidados na instalação e etc. Acho que se fizer isso nao vai ter tanta dor de cabeça

@Augusto
O HA é licenciado sob o Apache License 2.0 que permite uso comercial do HA.
Mas “empacotar e vender como um produto final “de prateleira”” onde nenhum serviço esteja associado ao produto, ele demandará muitas horas de customização para isso, e provavelmente não seria o HA original e sim um outro produto baseado no HA.

Hoje quando se contrata um empresa para fazer um projeto de automação residencial ou não, uma grande parte do valor pago no projeto é de horas de trabalho, e outra parte são pelos dispositivos necessários ao projeto. Os dispositivos podem conter ou não software proprietário ou licenciados comercialmente. Quando optamos por usar dispositivos open source (que permitem exploração comercial) em projetos, estamos confirmando que apoiamos o projeto aumentando a disseminação dele, mesmo que não aja uma contribuição financeira vc tem engajamento. Outra forma de apoiar é contribuindo com melhorias no código fonte do HA.

1 Like

Olha… Penso muito em oferecer esse serviço na minha cidade e regiao. A domotica aliada com a funcionalidade da Arquitetura te abre um leque de possibilidades que antes um arquiteto nao tinha ou mesmo nao conhecia.

Dependencias da casa customizadas conforme a aplicação e etc, controle da iluminação etc etc, exemplos são varios ainda mais se houver associação a algum escritorio de arquitetura por exemplo