Apague o topico, por favor!

Acredito que resumi alguns conceitos, explicações e espero ajudar. Bem-vindo ao mundo da verdadeira automação residencial. Automação não é dar comando de voz pra assistente, é muito + que isso!

8 Likes

Parabéns, muito bom um ótimo ponta pé inicial para novatos :clap:t4: :clap:t4: :clap:t4:

1 Like

Se você abriu esse tópico provavelmente não entende nada de automação residencial e está querendo aprender e entender como isso tudo funciona! Já leu em grupos, fóruns, sites e assistiu vídeos no youtube e ficou sem entender nada dos termos que falaram como “tuya”, “tasmota”, “IFTTT” ou “zigbee”, então você veio ao lugar certo!

Aqui vou concentrar o máximo de informações possível e explicar do jeito mais simples de uma forma que você consiga entender o que é automação e como ela funciona hoje!

*Não vou focar em produtos, existem centenas de dispositivos diferentes e seria impossível abordar tudo.

1 - O que é automação? Como ela funciona?

Automação , que significa mover-se por si só, é um sistema automático de controle pelo qual os mecanismos verificam seu próprio funcionamento, efetuando medições e introduzindo correções, sem a necessidade da interferência do homem. (wikipedia)

Resumindo, é algo automático , sem que necessariamente alguém precise agir ou dar algum comando.

Mas se não precisamos dar um comando como uma automação se inicia?

Na automação precisamos de um gatilho para ter uma ação . Podemos ter alguma condição para que haja ou não a ação .

Gatilhos são responsáveis por iniciar o processamento de uma regra de automação. É possível especificar vários gatilhos para a mesma regra. Quando o gatilho é iniciado será valida as condições, se houver, e chamará a ação.

Um gatilho pode ser um sensor (de movimento, de porta/janela, de fumaça, de gás, de água), pode ser um comando de voz para alguma assistente de voz (alexa, google assistente, siri), pode ser uma posição em um gps, uma tag nfc, pode ser um horário… a sua imaginação na hora de montar uma automação que vai decidir.

Condições são opcionais e impedirão a continuação da execução da automação, a menos que todas as condições sejam satisfeitas.

Uma condição pode ser uma determinada hora, uma posição de gps, um sensor adicionado… a sua imaginação na hora de montar uma automação que vai decidir se irá ter condições na automação.

Ações são o que acontecerá quando a automação for acionada.

Uma ação pode ser uma lampada ascender, um relé ser acionado, um alarme disparado, uma televisão ligada… sua imaginação na hora de montar uma automação que vai decidir a ação.

Resumindo, para toda automação temos um gatilho para ter uma ação:

Sem título2

Podemos ou não ter uma condição para aciona-la:

Sem título

Entender isso é importante para o que ainda vou explicar.

2 - Como funciona a automação na minha casa?

Funciona dessa forma:

Sem titulo3

As empresas de IOT (internet das coisas) controlam o seu acesso aos dispositivos smart porque todo comando de automação precisa passar pelos servidores deles!

Nada é feito localmente, tudo precisa passar pelos servidores das empresas!

3 - As empresas de IOT e suas plataformas (sistemas)!

De inicio temos que entender que as principais empresas de IOT hoje realizam uma prática chamada de “White Label”, o que é o white label?

O White Label é um modelo de negócio em que um produto ou serviço desenvolvido por determinada empresa pode ser revendido por outras empresas ou pessoas físicas sem divulgação dos direitos autorais, ou seja, como se a inteligência por trás do produto fosse da marca que o revende.

É bastante comum esse tipo de negócio, empresas brasileiras vendem smartphones aqui com a logo delas e com o android customizado por elas, mas o projeto, pesquisa e desenvolvimento do produto foi feito por outra empresa. É possível encontrar o mesmo smartphone lançado em outro país por outra empresa, igual, só muda o logo da empresa e o android customizado.

Então outras empresas vão até as empresas de IOT e compram os direitos e o projeto para utilizar aquele produto com a marca delas. Geralmente a única coisa que mudam é a carcaça do produto e adicionam a logo deles.

Com a compra dos direitos do produto a empresa adquiri também o acesso aos servidores das empresas de IOT, então é muito comum achar produtos de empresas diferentes que usam o mesmo aplicativo ou apresentam um aplicativo clone do aplicativo da empresa de IOT mas customizado.

Cada empresa de IOT usa seu próprio aplicativo para realizar a comunicação dos dispositivos com os servidores da empresa, isso chamamos de plataforma .

Então produtos de plataformas diferentes não conseguem conversar para criarem uma automação. Não é possível adicionar um produto de uma plataforma em outra. Então um sensor de porta de uma plataforma não conversa com uma lampada de outra, então não é possível criar uma automação simples de abrir uma porta ascender uma luz.

Plataforma: Ewelink (Coolkit) https://www.ewelink.cc/en/

A empresa Coolkit é a empresa de IOT criadora da plataforma Ewelink, muitos acham que a empresa Sonoff é a proprietária por ser a empresa mais conhecida que utiliza a plataforma. A Coolkit lança seus produtos com a marca Ewelink. Hoje existem dispositivos da Sonoff, Lonsonho, Dooya, Eachen e da própria Ewelink no mercado, todas utilizam a plataforma e aplicativo Ewelink.
Das empresas parceiras da Ewelink a mais conhecida é a Sonoff, é famosa por seus relês smart.

ewelink

Minha opinião sobre a plataforma:

Pontos positivos: É uma plataforma aberta para novos parceiros, é de fácil configuração no aplicativo. Geralmente os dispositivos apresentam possibilidade de instalação de firmware customizado.

Pontos negativos: Apresenta poucos parceiros e com pouca variedade de dispositivos, recentemente começou a apresentar dispositivos zigbee mas são produtos de qualidade duvidosa.

Plataforma: Tuya Smart - Smartlife (Tuya Inc.) https://www.tuya.com/

Hoje a Tuya Inc. é uma das maiores, se não a maior, empresa IOT que vende tecnologia para empresas parceiras, dezenas de empresas utilizam sua plataforma para seus dispositivos. Aqui no Brasil temos por exemplo: Positivo, NovaDigital, Kabum, Intelbras, Multilaser, Ekaza, i2go, Geonav, AGL e muitas outras utilizam a plataforma Tuya.
Empresas estrangeiras também utilizam a plataforma Tuya, temos como exemplo: Zemismart, Moes house, Avatto, Blitzwolf, Lonsonho e Milfra.

Por existir dezenas de empresas lançando dispositivos que usam a plataforma Tuya, é possível encontrar praticamente todo o tipo de dispositivos usando a plataforma Tuya, desde relês smart, kits de segurança, lampadas até persianas smart.

Hoje existem dois aplicativos da plataforma Tuya que englobam todos os dispositivos das diversas empresas, o TuyaSmart e o Smartlife. O aplicativo Tuya Smart é voltado para o mercado chinês e o aplicativo Smartlife é para o mercado global.

tuya

Minha opinião sobre a plataforma:

Pontos positivos: Apresenta uma grande variedade de parceiros e de dispositivo que geralmente são de boa qualidade. Aplicativos de fácil configuração.

Pontos negativos: Vários dispositivos que não apresentam possibilidade de alteração de firmware para firmware customizado.

Plataforma: Broadlink - Intelligente Home Center - e-Control (Broadlink) https://www.ibroadlink.com/

A Broadlink é uma das empresas mais conhecidas no mundo da automação residencial, é uma empresa bem conceituada mas hoje acredito que ela tenha parado no tempo pois só a própria Broadlink utiliza sua plataforma e existem poucos dispositivos lançados pela empresa. Os dispositivos mais conhecidos são os controles remotos de infra-vermelho. Hoje a única empresa parceira da Broadlink que produz dispositivos para a plataforma é a Bestcon.

Cuidado na compra de controles infra-vermelho da geração 4 (rm4, rm4 pro, rm4c) pois apresentam trava de região.

broadlink

Minha opinião sobre a plataforma:

Pontos positivos: Apresenta dispositivos de boa qualidade.

Pontos negativos: Plataforma fechada, não apresenta muitas empresas parceiras produzindo dispositivos para a plataforma. Pouca variedade de dispositivos. Trava de região entre os dispositivos da geração 4. Confusão entre os aplicativos, dispositivos novos não são suportados em todos os aplicativos, aplicativos novos não apresentam funções que os antigos apresentam. Caso for utilizar a geração 4 no Home Assistant perderá o acesso de uso ao aplicativo da broadlink, o que não ocorre com dispositivos da geração 3.

Plataforma: Mi Home (Xiaomi) https://www.mi.com/br

A Xiaomi é excelente com seus produtos mas péssima com o suporte a eles. Ela tem um grande problema que é uma trava de região em seus dispositivos. O aplicativo Mi Home no cadastro pede a escolha de uma região (país) que o aplicativo vai ser usado e dependendo da região só irão aparecer os dispositivos lançados naquela região pela Xiaomi do país.

Olhem a diferença entre a região Brasil e a região China no Mi Home.

xiaomiii

O problema não é só esse, só os dispositivos lançados oficialmente pela Xiaomi na região do seu país que irão aparecer nas assistentes, tanto Alexa quanto Google Home. Mesmo se utilizar em uma outra região dispositivos lançados no Brasil com dispositivos de outra região só os que foram lançados no Brasil que irão aparecer nas assistentes. A questão não é a região no aplicativo, é realmente um bloqueio nos dispositivos serem reconhecidos pelas assistentes.

Esse bloqueio se da pela Xiaomi ter sua própria assistente, a XiaoAi, que só foi lançada na China e o único idioma é o mandarim.

Aplicativo Yeelight não apresenta trava de região. Com robôs de limpeza da Roborock a situação é diferente, o próprio aparelho tem trava e precisa escolher na compra entre região Europa ou Ásia, no Mi Home na região Brasil é possível adicionar o robô região Europa.

Atenção: Caso pretenda adquirir algum dispositivo Xiaomi fique atento as regiões, verifique na região Brasil do Mi Home se o dispositivo foi lançado oficialmente no Brasil.

Uma dica: dispositivos Mijia não foram lançados no Brasil, dispositivos Aqara são reconhecidos pelas assistentes.

xiaomi

Minha opinião sobre a plataforma:

Pontos positivos: Apresenta excelentes dispositivos. Aplicativo de fácil configuração.

Pontos negativos: Trava de região para os dispositivos. Plataforma fechada, não apresenta empresas parceiras produzindo dispositivos para a plataforma.

Essas são as principais plataformas e mais usadas aqui no Brasil, sei que existem outras, várias outras empresas também tem plataformas próprias.

4 - Integração entre as plataformas e a integração pela Alexa!

Geralmente as pessoas quando começam na automação acreditam que é possível a integração entre as plataformas, acreditam que podem comprar um sensor Tuya e faze-lo ligar um relê Ewelink mas hoje ainda não é possível integração total sem usar um “hub de integração” (vou conversar + a frente sobre eles).

No aplicativo da Alexa é até possível realizar algumas automações entre dispositivos de plataformas diferentes mas são bem poucos dispositivos e só os liberados pelas empresas. Alguns dispositivos até aparecem na Alexa mas que não é possível realizar a automação.
Isso deixa diversos consumidores frustrados.

alexaaa

Então hoje não conte com a Alexa para realizar suas automações que não sejam por comando de voz, quem sabe no futuro seja possível.

Hoje o indicado é só comprar produtos da mesma plataforma, dentro dela é possível uma automação completa sem depender de algum hub de integração ou da Alexa. Foque em uma plataforma só, se comprar algo Tuya só compre Tuya, se comprar algo Ewelink só compre Ewelink!

O Attilio Catalane diz o mesmo na dica 02 desse vídeo:

5 - Hubs de integração!

Se você já comprou vários produtos que usam plataformas diferentes que não é possível realizar automações entre eles e não gostaria de ter que trocar de produtos ou gastar mais dinheiro com novos, temos a solução, use um hub de integração!

Um hub de integração é um dispositivo, serviço ou sistema que faz a ligação entre as diversas plataformas, então por ele é possível que um sensor de porta da plataforma Tuya ligue uma luz da plataforma Ewelink.

Hub de integração: IFTTT (https://ifttt.com)

SENSEDIA-ifttt

Com o IFTTT a integração é feita na nuvem, pela internet. É de simples utilização, mas necessita saber inglês. O plano Pró com automações ilimitadas é pago.

Hub de integração: Home Assistant (https://www.home-assistant.io/)

Home_capa

O Home Assistant é um “sistema operacional” open source baseado em Linux, então ele é de graça! Por ser um “sistema operacional” precisa de um dispositivo para instala-lo podendo ser um mini pc, um intel nuc, um raspiberry pi ou em uma máquina virtual no seu computador doméstico (é o meu caso). Com o Home Assistant é possível integrar + de 1600 plataformas diferentes, dentre elas Xiaomi, Tuya, Ewelink, Broadlink, IFTTT, Smartthings, Philips Hue…

Com o Home Assistant a integração é feita localmente. Demanda muito tempo para estudo e aprender a utilizar. Não é necessário saber programação, hoje existe uma aba “automações” que é possível realizar as automações além do add-on do “Node-RED” que torna as automações visuais por fluxograma.

O Node-RED é uma ferramenta de desenvolvimento baseada em fluxograma para programação visual desenvolvida originalmente pela IBM para conectar dispositivos de internet das coisas.

Hub de integração: Samsung Smartthings (https://www.samsung.com/br/apps/smartthings/)

SmartThings_Blk

Com o Smartthings a integração pode ser feita na nuvem ou localmente dependendo do dispositivo. O custo é alto, não é vendido no Brasil, precisando ser importado.

Minha opinião:

Dentre os três acredito que o Home Assistant é o mais acessível por ser de graça e utilizável em até um computador antigo. Mas demanda tempo para aprender, se você é o tipo de pessoa que tem curiosidade e quer aprender é um prato cheio.

6 - Firmware customizados!

Geralmente o Tasmota e o ESPHome são usados em conjunto com o Home Assistant para obter acesso total aos dispositivos localmente. O Tasmota também é usado no Smartthings.

Firmware: Tasmota (https://tasmota.github.io/)

Tasmota é um firmware de código aberto para dispositivos baseados em ESP8266 criado e mantido por Theo Arends. Então todos os dispositivos baseados em EPP8266 podem ser instalados o Tasmota. Com o tasmota podemos ter controle localmente sem depender do acesso aos servidores da plataforma do dispositivo. Dispositivos Ewelink e Tuya podem ser instalados o Tasmota.

tasmotaaa

Firmware: ESPHome ( https://esphome.io/)

ESPHome é um sistema para controlar seu ESP8266 / ESP32 por arquivos de configuração simples e controlá-los remotamente através de sistemas de automação residencial. Tecnicamente, todos os dispositivos ESP8266 / ESP32 são compatíveis com ESPHome, incluindo dispositivos Xiaomi BLE (bluetooth low energy), Tuya e Sonoff.

7 - Protocolos de comunicação

Os protocolos de automação mais utilizados hoje são o Wi-fi e o Zigbee. O protocolo Wi-fi acredito que todos já conhecem, funciona da mesma forma que qualquer outro dispotivo Wi-fi. Dispositivos RF (radio frequência) hoje não são tão utilizados por não haver retorno de status.

Protocolo: Zigbee (https://zigbeealliance.org/)

ZigBee é um padrão que será definido por uma aliança de empresas de diferentes segmentos do mercado, chamada “ZigBee Alliance”. Este protocolo está sendo projetado para permitir comunicação sem fio confiável, com baixo consumo de energia e baixas taxas de transmissão para aplicações de monitoramento e controle.

Atualmente, marcas como Philips, Samsung e LG trabalham com o padrão, presente em lâmpadas inteligentes, sensores, eletrodomésticos, entre outros produtos. O protocolo está em sua versão 3.0, que, entre outras características, permite a integração das diferentes vias de atuação em redes conectadas.

Dispositivos zigbees precisam de um hub zigbee (gateway) para se conectarem a internet.

Acredito que resumi alguns conceitos, explicações e espero ajudar. Bem-vindo ao mundo da verdadeira automação residencial. Automação não é dar comando de voz pra assistente, é muito + que isso!

1 Like